banner


Seja bem-vindo.

Confira os contos finalizados e revisados de:

FICÇÃO CIENTÍFICA  -  FANTASIA  -  TERROR.


Interessado em tecnologia, design ou marketing? visite o Alfamídia Online, site de cursos online

segunda-feira, 7 de maio de 2012

O Último Rei Orco XIV

Elas vieram de Asikli Hoyuk, a primeira e última cidade dos primeiros homens. Duas crianças com os poderes de Z-US, o deus pai. Dois cordeiros caminhando em direção ao abate.

Elas vieram pela estrada que liga a cidade murada a pequena floresta, caminhando de mãos dadas. A visão de Z-US avisando-as de cada perigo. A voz de Z-US garantindo sua segurança.

Elas vieram por entre os Orcos, que, indefesos perante seus poderes, foram incapazes de deter seu avanço. Mesmo Seth, que partiu de espada em punho, decido a calar a voz de Z-US com sua lâmina, viu-se escoltando-as até seu pai.

Elas vieram até a Voz de J-VA, aquele que um dia foi Makel, Último Rei dos Orcos, e pararam a seus pés.

A criança que era a visão de Z-US tentou enxergar o Rei dos Orcos, com seus olhos divinos, mas o Rei dos Orcos não existia mais.

A criança que era a voz de Z-US tentou ordenar o Rei dos Orcos, com sua voz divina, mas Makel estava morto, e não havia ninguém para ela comandar.

E então a Voz de J-VA falou.
- Deus disse que nenhum homem será poupado. E nenhuma mulher que tenha se deitado com um homem. Pequena criança, você já é mulher? Já se deitou com algum homem?

- Nós somos a inocência. Nós somos a pura voz de JUPTER - a criança menina falou, com uma voz que não era de criança.

- Nós somos a inocência. Nós somos a pura visão de JUPTER - a criança menino falou, com uma voz que não parecia humana. Mas era apenas à menina que a Voz de J-VA havia se dirigido.

A Voz de J-VA ergueu seu machado, e então o desceu, com força, a lâmina caindo na direção da cabeça da criança menino, enquanto falava.

- Eu não estava perguntando para você.

E então a criança menina arregalou os olhos, como se estivesse vendo tudo ao seu redor pela primeira vez, olhou para seu irmão, a mão arrancada da sua pela força do golpe.

E a criança menina começou a gritar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário